Vendas de leves: Brasil bem, EUA em nível mais baixo de 27 anos


Nenhum fabricante de veículos conseguiu elevar as vendas de veículos leves nos últimos dois meses nos Estados Unidos. Em abril as vendas somaram 819.817 unidades, 34,3% abaixo do que foi vendido um ano atrás. As vendas anualizadas somam agora 9,5 milhões, o nível mais baixo nos últimos 27 anos.

A maior queda em vendas em abril coube à Chrysler, com 48% menos do que no mesmo mês de 2008. A Toyota perdeu 42%, a Nissan 38%, a Ford e a GM 33%. Entre as menores perdedoras estão a Subaru (6,7%), Hyundai/Kia (14,1%) e Volkswagen (14,7%, incluindo Audi e Bentley).

No quadrimestre, em relação ao mesmo período de 2008, a Chrysler perdeu 46,2%, a GM 45%, a Ford 41% e a Toyota 38%. A Subaru perdeu apenas 0,8% e a Hyundai/Kia 3,7%. As vendas totais de veículos leves chegou a 3,0 milhões (4,8 milhões no mesmo período do ano passado).

Ranking nos EUA

Com a venda de 581 mil unidades a GM mantém o primeiro lugar no ranking de vendas de veículos leves nos EUA no quadrimestre, seguida da Toyota (486 mil), Ford (15,1%), Honda (11%) e Chrysler (10,7%). No Brasil

Nos próximos dias a Fenabrave (entidade dos distribuidores de veículos) e a Anfavea (associação dos fabricantes) divulgarão as estatísticas do quadrimestre do ano. Segundo dados colhidos pelo jornal Valor, até 28 de abril as vendas de veículos no quadrimestre (incluindo caminhões e ônibus) somavam cerca de 870 mil unidades. No mesmo período de 2008 foram 874,1 mil (672,4 mil em 2007).

O segmento de veículos leves tem tido um bom desempenho nas vendas internas, mas os caminhões e ônibus continuam derrapando, dependendo ainda de uma retomada mais forte da economia e de maior facilidade de crédito.

No primeiro trimestre foram emplacados 527.542 automóveis, contra 510.482 no mesmo período de 2008; foram vendidos 114.429 comerciais leves (106.889 em 2008) e 21.494 caminhões (25.523 em 2008).

Com o subsídio ao IPI nas vendas de veículos há certo otimismo na indústria automobilística brasileira, embora haja dúvida sobre a manutenção do ritmo de vendas até o final do ano. A Anfavea estima que as vendas totais de autoveículos no país serão de 2,71 milhões de unidades, contra 2,820 milhões em 2008 – uma queda de apenas 3,9%.

As exportações este ano devem cair 32% em volume, para 500 mil unidades (735 mil no ano passado).

A produção de autoveículos em 2009 (incluindo caminhões e ônibus) é projetada pela Anfavea em 2,86 milhões de unidades, com queda de 11,2% em relação aos 3,22 milhões do ano passado. A queda é atribuída ao aumento das importações e ao recuo das vendas internacionais.

Fontes: Detroit News, Automotive News, Jornal Valor e Anfavea.

Fonte: Automotive Business