Vendas de veículos usados recuam 10,5% em janeiro

 Após atingir novos, crise chega aos seminovos e usados, aponta FenautoREDAÇÃO ABA queda de 10,5% das vendas de veículos usados verificada em janeiro, quando foram transferidos 735,4 mil unidades, comparada com o volume de 821,9 milhão de veículos no mesmo mês de 2015, entre automóveis, comerciais leves e pesados, acendeu uma luz amarela no segmento. Para a Fenauto, Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores, o desempenho negativo apurado no primeiro mês do ano reflete os efeitos da retração da demanda de consumo, que vem atingindo a maior parte da economia brasileira e que após atingir o mercado de veículos zero quilômetro parece ter chegado também ao setor de usados.“O resultado já era esperado em função da situação econômica pela qual o País está passando e a cautela que os consumidores estão assumindo. No entanto, estamos empenhados em criar estratégias para fortalecer a fidelização de nossos clientes, gerando novas oportunidades de negócios”, afirma e, comunicado o presidente da Fenauto, Ilídio dos Santos. A entidade lembra que devido ao cenário incerto da economia os consumidores estão mais cautelosos, adiando decisões que geram endividamento de maior valor, como a compra de um automóvel. Os números divulgados pela Fenauto mostram que em janeiro, com 20 dias úteis, a média diária de vendas recuou 5% no comparativo anual, de 49,7 mil para 47,2 mil unidades. Já com relação a dezembro do ano passado, a queda da média diária chegou a 17,5%, uma vez que o último mês do ano é tradicionalmente mais forte devido a condições sazonais, como maior oferta de recursos, como o 13º salário, bem como antecipação de compras para aproveitamento de ofertas. Nesta comparação, a entidade considera o volume de vendas de motocicletas. Ainda no comparativo anual, a maior queda foi verificada no segmento de automóveis, de 11,8%, para 616,5 mil unidades contra as quase 700 mil de janeiro do ano passado. Comerciais leves e comerciais pesados tiveram retração de 3,3% cada um, para 96,2 mil e 22,5 mil unidades, respectivamente. Já as motocicletas apresentaram recuo de 6,4%, passando de 212,5 mil em janeiro de 2015 para 198,8 mil em janeiro deste ano. Com relação a dezembro de 2015, todos os segmentos também registraram queda, sendo a maior computada em motocicletas, de 28,3%, seguida por automóveis, cuja retração foi de 24,6%.
Fonte: Automotive Business