Vendendo em português


“É impossível vender um carro falando uma língua diferente da do comprador”, diz o francês Ivan Segal, novo diretor-geral da Citröen, que chegou ao País falando um português impecável.

chicolelis/DCarro – 15/3/2009 – 18h21

Muitos estrangeiros que já vivem no Brasil há décadas e mantêm sotaque de suas origens deveriam aprender português com o novo diretor-geral da Citroën brasileira, Ivan Segal (na foto), que chegou aqui há pouco mais de uma semana e fala a nossa língua de forma impecável, com uma leve presença do seu francês.

Ele veio da Bélgica (antes, passara pela África do Sul, Israel, Eslovaquia e Polônia, sempre aprendendo o idioma do país), onde fez uma “imersão” por três semanas no idioma de Camões. E surpreendeu a todos.

Para justificar, Segal argumenta que não poderia se relacionar com a rede de concessionários da marca e com seus consumidores tendo ao lado um tradutor intermediando a conversa.

“É impossível vender um carro falando uma língua diferente da do comprador”, diz o executivo, com 38 anos, oriundo da área de Marketing e não de Finanças ou Engenharia, como acontece com a grande maioria dos executivos que comandam as multinacionais aqui sediadas.

Fonte: Diário do Comércio