Volkswagen marca gol ao entrar na Copa do Mundo?


Teria a Volkswagen marcado um gol ao decidir patrocinar a seleção brasileira de futebol nos próximos cinco anos, até a Copa do Mundo de 2014? A ação ajudará a manter o Gol como campeão de vendas, título que ostenta há 22 anos?

Ou o gol teria sido de Ricardo Teixeira, presidente da Confederação Brasileira de Futebol, que tratou de levar camisas da seleção, devidamente autografadas, ao presidente da montadora, Thomas Schmall?

Os riscos de um fiasco no empreendimento não foram considerados altos, embora o valor do patrocínio deva ser (não foi revelado). A iniciativa terá recursos especiais do programa de investimento da empresa no Brasil pelos próximos cinco anos, que representará R$ 6,2 bilhões, o maior da história da montadora no País.

À parte as justificativas do presidente, como ‘patrocinar a seleção é acreditar no Brasil’, a promoção relacionada à Copa deverá trazer bons dividendos à marca, que luta para superar a Fiat no ranking de vendas. Além disso, a Volkswagen deverá ter boas oportunidades para alavancar sua imagem e defendê-la de incidentes como o gol contra no misterioso recente recall (‘branco’) para seus motores.

Com o patrocínio à seleção a montadora poderá usar a marca da CBF em sua comunicação, além de desenvolver outras atividades promocionais. O ônibus que transportará a seleção nos jogos e treinos será doado pela Volkswagen.

“Há uma grande sinergia entre a Volkswagen e o time do Brasil. Assim como a seleção, nossa marca expressa valores bastante importantes para o brasileiro, como confiabilidade, amizade, paixão e proximidade”, explicou o vice-presidente de vendas e marketing, Flavio Padovan.

VW nos esportes

A Volkswagen possui tradição no patrocínio ao futebol e ao esporte no Brasil e no mundo. A marca apóia a programação de futebol da TV Globo e organizou este ano o torneio Junior Masters para jogadores de até 13 anos.

Na Alemanha a empresa é dona do time do Wolfsburg, em sua cidade-sede, que é o atual campeão alemão.

A Volkswagen promove no Brasil há três anos a Volkswagen Run, corrida de dez quilômetros que passa por dentro de suas fábricas, e participa do Super Surf e do Rally dos Sertões.

35 picapes Amarok vão participar do Rally Dakar de 1 a 17 de janeiro, entre Argentina e Chile, prestando serviços de apoio ao longo de 9 mil km da competição. Vinte unidades estarão à disposição dos organizadores e as demais serão utilizadas para transporte de jornalistas.

Fonte: Automotive Business