Volvo C30 T5, um hatch esportivo que não economiza em emoção


Com 230 cv, este sueco só é frio por fora

Carlos Guimarães

Não se engane pela frieza da cor branca: esse C30 T5 é quente! Daqueles que pedem uma boa estrada para se soltar das amarras do trânsito. Por isso aproveitei o fim de semana para uma viagenzinha básica, de 280 quilômetros, onde pude tirar o melhor dos 230 cavalos do 2.5, de cinco cilindros – com 10 cv desde a linha 2010. Mas é preciso saber usar esse fôlego para não sair por aí com a frente passarinhando.

Ponha toda a cavalaria apenas nas rodas da frente de um carro que pesa apenas 1.437 kg (o que leva a uma relação peso-potência de meros 6,2 kg/cv) e acelere com as pontas dos dedos para não fazer as rodas da frente girarem em falso, nem interferirem no funcionamento da direção. Ainda bem que há boa dose de força um pouco depois do regime de marcha lenta, o que ajuda a manter o equilíbrio. São 32,7 kgfm a partir de meros 1.500 rpm. Dá até para engatar terceira a 40 km/h, acelerar e ver o ponteiro do velocímetro no limite legal das estradas bem antes de a agulha do contagiros ficar na vertical.

Vendida pela Ford para a chinesa Geely, a sueca Volvo entra numa nova fase com pressa de crescer. Acaba de trazer a linha 2011 completa do C30 T5, inclusive a R-Design (R$ 118.390), equipada com molas 30% mais rígidas e ajuste ainda mais esportivo que esse T5 Top 2010 que avaliamos, vendido a partir de R$ 119.900. Ele vem co equipamentos como luzes de alerta para objetos no ponto cego (Blis e teto solar elétrico, itens que não estão disponíveis no C30 T5 2011, vendido por R$ 111.330.

Fonte: Auto Esporte