Volvo demite 102 empregados no interior de São Paulo

Da AE

A montadora Volvo demitiu neste final de semana 102 dos 700 empregados de sua fábrica de Pederneiras, na região de Bauru, que produz caminhões e outros veículos pesados destinados a obras e mineração.

Sua fornecedora Pedertractor fez 80 demissões no quadro de 1.000 empregados. As próprias empresas não divulgaram informações sobre o processo, mas José Carlos Colaciti, funcionário da Volvo e diretor do Sindicato dos Metalúrgicos disse que há aproximadamente dois meses a empresa vinha sofrendo baixa na produção, e já negociava com a entidade fórmulas para desaquecer a produção. Uma delas seria ativar o banco de horas e só convocar os trabalhadores quando houver necessidade de produção.

Segundo trabalhadores da Volvo, a empresa montava em Pederneiras quatro caminhões pesados por dia e, na atual situação, a previsão é produzir apenas 0,8 veículo diariamente a partir de 2009, enquanto a crise se mantiver. O sindicato revela que no próximo dia 22 os empregados entrarão em férias coletivas, com duração prevista de 30 dias.

A Volvo é uma das maiores indústrias de Pederneiras e é a pioneira do parque industrial do município, localizado na margem esquerda do Rio Tietê. Sua instalação, há mais de 30 anos, alavancou a instalação de outras empresas do ramo metalúrgico, fornecedoras de peças e componentes para seus veículos. A crise na montadora deverá se estender às fornecedoras.

O diretor regional da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), José Luiz Simonelli, disse que a indústria automotiva é a mais sensível à crise de mercado e outras demissões deverão acontecer no setor se não ocorrerem medidas que garantam a venda dos veículos. “Os bancos têm dinheiro, mas não têm confiança para emprestá-lo e os veículos ficam nos pátios das montadoras que, não produzindo, têm de desmobilizar a produção”.

Fonte: Diário do Grande ABC