Volvo lança caminhão FMX de olho em obras

                                             Produção em Curitiba começará em dezembro.

Evandro Fadel, Agência Estado

A Volvo do Brasil lançou nesta quarta-feira, 24, em Curitiba, o caminhão FMX, destinado particularmente à construção e mineração. “O FMX é a nossa contribuição para o crescimento do Brasil e da América Latina”, disse o presidente da unidade, Roger Alm (foto).

“Vamos reforçar os investimentos no setor de infraestrutura”, explicou o executivo, admitindo a expectativa de crescimento da economia brasileira e a importância das obras do Programa de Aceleração do Crescimento e as voltadas para a Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016.

O caminhão foi desenvolvido pela Volvo do Brasil e começou a ser fabricado na Suécia em setembro. No Brasil, a fabricação deve começar no próximo mês. A previsão da Volvo é que, no mercado de caminhões pesados, que deve vender 3,5 mil unidades no próximo ano, a empresa sueca responda com até 1,3 mil deste novo modelo. Alm preferiu não falar em novos empregos ou em ampliação da unidade da Volvo na Cidade Industrial de Curitiba. “Temos posição forte no Brasil e queremos crescer no processo”, salientou. Neste ano, a empresa contratou 500 trabalhadores.

A Volvo começou a projetar o caminhão há cerca de três anos, investindo US$ 50 milhões para concretizá-lo. Os primeiros caminhões que chegarão ao mercado brasileiro a partir de janeiro de 2011 devem ter preços variando entre R$ 460 mil e R$ 530 mil. “Estamos no mercado e somos sérios no sentido de nos mantermos”, disse o presidente da empresa. De acordo com ele, possíveis alterações em razão do novo governo federal não devem afetar a Volvo. “A Volvo é uma companhia global”, reforçou. “Estamos acostumados com processos de mudança governamental e estaremos aqui independentemente da situação política no futuro.”

Segundo o gerente de caminhões da linha F da Volvo do Brasil, Bernardo Fedalto, até outubro deste ano a empresa tinha exportado 1.730 caminhões, 84% a mais que as 942 unidades no mesmo período do ano passado. Mas ainda está abaixo das pretensões da empresa. “É um ponto para desenvolvermos, a competição com a Europa e a Ásia está nos prejudicando por vários fatores”, afirmou. No entanto, o mercado interno tem deixado satisfeitos os executivos. Até outubro a Volvo vendeu 12.976 caminhões, contra 6.632 no mesmo período do ano passado (95,6% a mais).

Fonte: Automotive Business