VW prepara novos Gol, Voyage e Saveiro

 Produção começa em janeiro. Modelos terão plataforma MQB em 2018
PEDRO KUTNEY, AB

Fornecedores da Volkswagen já têm encomendas de componentes para versões renovadas do Gol, Voyage e Saveiro, segundo informações obtidas por Automotive Business. Os modelos passam por trabalho de reestilização e entram em produção em janeiro próximo, para chegar ao mercado nos meses seguintes, possivelmente até o fim do primeiro trimestre. Neste momento, todos continuarão a ser fabricados sobre a plataforma PQ24, mas de acordo com fontes existem planos de aplicar para a próxima nova geração da família brasileira de compactos da marca a base modular MQB, sobre a qual podem ser construídos 43 modelos do Grupo VW, entre eles Golf e Jetta ou Audi A3 e A4. Essa grande mudança, contudo, está programa para mais alguns anos adiante, entre 2018 e 2019. Os compactos em processo de renovação continuarão a ser produzidos na planta Anchieta, em São Bernardo do Campo, caso do Gol e Saveiro, e Taubaté SP, que também faz o Gol e seu derivado sedã Voyage. O design da família foi alterado pela última vez em 2012, quando a Volkswagen lançou novos Gol e Voyage, e cerca de um ano depois foi apresentada a Saveiro reestilizada, que ganhou nova versão com cabine dupla em 2014. Não está claro se a reestilização do Gol está sendo apressada ou se já estava nos planos da Volkswagen, mas o certo é que o modelo precisa disso mais do que nunca, pois ficou envelhecido e ultrapassado diante dos concorrentes. Este ano o Gol perdeu o posto de líder de vendas no Brasil, posto que mantinha por mais de duas décadas. Pior ainda, depois de dezembro de 2014 o desempenho carro entrou em uma ladeira de mercado que parece não ter fim. PERDA DE MERCADOEm setembro passado o Gol sequer figurou entre os dez mais vendidos do País, desceu para a 11ª posição entre os automóveis, ou 12ª quando se colocam os comerciais leves na conta. O ex-campeão da Volkswagen ficou atrás de modelos que antes vendiam menos da metade, como Hyundai HB20, Ford Ka e Renault Sandero, e mesmo de outros em patamar superior de preço, como Toyota Corolla e os novatos Honda HR-V e Jeep Renegade. No resultado acumulado de janeiro a setembro o Gol ainda mantém a sexta colocação no ranking de veículos leves, menos de 50 unidades à frente do Fox e atrás de Fiat Palio, Chevrolet Onix, Fiat Strada, Hyundai HB20 e Ford Ka. Voyage e Saveiro não estão em situação melhor. Em setembro o sedã derivado do Gol ficou na 17ª posição do ranking de automóveis, quase empatado com o Toyota Etios e atrás de Hyundai HB20S 15º e Honda Fit 16º. Até o também envelhecido Fiat Siena fica à frente, em 13º. No acumulado do ano o Voyage está em 16º lugar, atrás de todos os seus maiores concorrentes. A Saveiro, com renovações mais recentes, vem conseguindo manter-se na segunda colocação entre as picapes mais vendidas do País, mas com vendas mais de 40% menores do que sua maior rival, a Fiat Strada, que vende mais até do que muitos automóveis – incluindo Gol e Voyage. Portanto, a renovação também chega em boa hora. A chegada ao mercado nacional de concorrentes mais atraentes, seja pelo preço ou inovações tecnológicas e de design, custou caro à Volkswagen no Brasil, que desde 2014 perdeu para a General Motors a posição de vice-líder do mercado e este ano vem se mantendo com participação na casa do 15%, o porcentual mais baixo de sua história de 60 anos no País. ROTEIRO DE ATUALIZAÇÃOA Volkswagen não esconde as linhas gerais de seu plano de atualização de produtos no País, que tem três fases. A primeira começou em 2007, com a renovação geral do portfólio – daí nasceu a mais recente geração do Gol. Em princípio deu certo e as vendas da marca, principalmente de automóveis, cresceram consideravelmente entre 2008 e 2010. Em 2011 foi iniciada a segunda fase do plano, fazendo a conexão tecnoló
Fonte: Automotive Business